Alô alô umbigueiros de plantão, vamos falar sobre quadrinhos?

Acredito que no mundo existem dois tipos de pessoas: aqueles que gostam de quadrinhos e aqueles que nunca leram um bom exemplar.

Mas o que mantém essas pessoas longe dos quadrinhos? Preconceito, ignorância, preguiça, tudo isso e mais um pouco?

Eu tenho um palpite e é algo que costuma ser o terror daqueles que querem começar: a cronologia.

 Existem histórias que precisa de um certo entendimento da vida pregressa do personagem, ou seja, a cronologia (e olha que algumas parecem ser infinitas). Isso acontece muito com os super-heróis, pra quem não tem paciência, uma simples leitura pode virar uma bagunça.

Por isso, para tentar dar um basta nisso, vamos dar dicas de quadrinhos para quem quer começar a ler e literalmente está cagando para a cronologia, uma leitura com começo, meio e fim.

Mas para não ir com muita sede ao pote, vamos começar com três:

Umbigo sem fundo

umbigocom arte

Pois é, você deve estar pensando: “Ué, mas esse é o nome do blog”, bingo!

Além de ser o quadrinho que deu origem ao nome deste humilde blog (deu pra perceber o quanto gostamos dele né?), ele é uma ótima leitura pra quem quer começar a ler quadrinhos. Escrito e desenhado por Dash Shaw a história começa quando todos os filhos de uma família são reunidos para receber um aviso dos pais: depois de muitos anos de casados eles vão se separar. A notícia cai como uma bomba na família, por quê depois de tanto tempo eles vão se separar? Esse quadrinho mostra uma família disfuncional e extremamente crível, com sacadas divertidíssimas como o filho com cara de sapo, um artifício que o autor usou para mostrar o deslocamento dele perante a família. Um quadrinho simples, que fala muito sobre a vida de um jeito emocionante.

Maus

mauscomarte

Sabe Maus? Nunca ouviu falar? Pois eu não sei o que você está esperando para ler. Maus é um dos quadrinhos mais aclamados de todos os tempos e já recebeu até o prêmio Pulitzer. Quer mais? Maus foi escrito pelo quadrinista Art Spiegelman e conta a história do pai dele, no passado e no presente, um judeu que sentiu na pele os horrores da 2ª guerra mundial e que até hoje mantêm manias e traumas daquela época que mudou a vida dele pra sempre. Em Maus, o autor usa do antropomorfismo (palavra difícil né?) para dividir os personagens: os nazistas são gatos, os judeus são ratos, os poloneses são porcos e os americanos são cachorros. Um relato incisivo e emocionante da 2ª guerra mundial.

Retalhos

retalhoscomarte

Esse é um de dois quadrinhos que vamos indicar do mesmo autor, o Craig Thompson. O cara é um mestre. Através de um traço super fluído ele conta a história de ninguém menos que ele mesmo. Criado numa família extremamente religiosa, nesse quadrinho ele mostra o amadurecimento pelo qual passou na época da adolescência, descobrindo e vivendo um amor à distância arrebatador, e além disso começando a questionar sua própria religião. Um quadrinho crítico e emocionante, uma leitura imperdível.

E aí, já leu algum desses? Tem alguma dica para os próximos posts?

Conta aí pra gente.