Parece estranho, nojento e que não vai funcionar. Passei por todos esses sentimentos e sensações quando larguei o shampoo e, depois de mais de um ano lavando o cabelo somente com condicionador posso afirmar que a técnica funciona.

20140702-180340-65020558.jpg

O co-wash foi um técnica originalmente pensada para os cabelos cacheados, que são naturalmente mais ressecados por conta da estrutura ondulada (o óleo natural da raiz não consegue chegar até as pontas).  Também é chamado de no poo (sem shampoo) pois não usa nenhum tipo de detergente para limpar os fios.

Durante algum tempo alguns extremistas abdicaram totalmente de qualquer tipo de produto para lavar os cabelos – shampoo ou condicionador- o motivo era a crença que os  ingredientes usados nesses produtos eram prejudiciais tanto a pele, quanto a saúde dos fios. A higienização dos fios era feita somente com água e com a estimulação da raiz com movimentos com as mãos.

Para não ser tão radical e ficar em um meio termo foi criado o co-wash: técnica de lavar com condicionadores. Mas não é qualquer condicionador não, viu? Tem que ser um livre de siliciones insolúveis, óleos minerais, sulfatos (detergentes) e derivados do petróleo.

E o motivo que esses ingredientes (silicones insolúveis, óleos minerais e derivados de petróleo) são proibidos no co-wash é porque eles impregnam no cabelo e formam uma capa de proteção nos fios – o que não é de tudo ruim, mas também não ajudam a nutrir os fios realmente . Esses ingredientes só são removidos do fio com ajuda de algum sulfato (detergente) – um dos ingredientes que não são usados no co-wash.

Pois então, quando você começa a se preocupar mais com a fórmula dos produtos, passa a entender melhor o quão prejudicial alguns ingredientes podem ser. Além de ficar mais esperta e atenta as fórmulas – daí você percebe que nem sempre o produto mais caro tem os melhores ingredientes.

Lista de produtos não usados no co-wash:

Silicones Insolúveis: Trimethylsilylamodimethicone, Amodimethicone, Cyclopentasiloxane, Cyclomethicone, Dimethicone, Cetyl Dimethicone, Cetearyl Methicone, Dimethiconol, Stearyl Dimethicone, Phenyl Trimethicone, Simethicone, Polydimethylsiloxane, Methicone, Dimethylpolysiloxane.

Óleos Minerais: Petrolatum/petrolato, Mineral Oil/óleo mineral, Parafinum Liquid/parafina líquida, Vaselina, isoparafina e isododecane.

Sulfatos Fortes: Sodium Laureth Sulfate, Sodium Myreth Sulfate, Sodium Lauryl Sulfate, Ammonium Lauryl Sulfate, Ammonium Laureth Sulfate, Sodium C14-16 Olefin Sulfonate, TEA Lauryl Sulfate, TEA-dodecylbenzenesulfonate, Sodium Alkylbenzene Sulfonate, Ammonium or Sodium Xylenesulfonate. (Evitados no No e Low Poo)

Sulfatos Fracos: Sodium Cocyl Isethionate, Sodium Lauryl Sulfoacetate, Sodium Socoyl (or lauryl/lauroyl) Sarcosinate, Ethyl PEG-15 Cocamine Sulfate, Dioctyl Sodium Sulfosuccinate, Sodium Lauryl Glucose Carboxylate, Methyl Cocoyl or Lauryl Taurate – mild, derived from coconut fatty acids, Sodium Cocoyl Glycinate. (Esporadicamente utilizados do Low Poo)

O motivo de ter uma lista de sulfatos (detergentes) fracos é porque algumas pessoas são adeptas ao low poo ( poucos shampoo), ou seja, elas continuam lavando o cabelo com shampoos mas escolhem os mais fracos, com ingredientes que agridem menos os fios – e isso não quer dizer que eles limpem menos.

Daí você me pergunta: e isso funciona mesmo, mesmo? Sim funciona. Pense comigo, se você não usa nenhum tipo de produto com ingredientes que impregnam nos fios a higienização será muito mais fácil. Por isso além de usar o condicionar correto é essencial fazer a estimulação da raiz com movimentos circulares ou de “vai e vem” com as mãos.

Na gringa tem muita diversidade de produtos especificamente formulados para o co-wash. Essa técnica é muito mais popular lá fora, por isso o maior interesse das marcas de fazer produtos que atendam as necessidades das consumidoras que seguem esse estilo.

Mas não há com que se preocupar, aqui no Brasil existem produtos muito bons para o co-wash, afinal de contas o que importa no final de tudo são os ingredientes de cada produto. O negócio é sempre ficar de olho na fórmula. Um dos produtos que eu mais gosto e não falta aqui em casa é o yamasterol.

A migração para o co-wash pode ser feita gradualmente (parando com o shampoo aos poucos) ou de maneira mais radical (cortar de vez o shampoo). É importante frizar que durante esse processo de transição o cabelo pode demorar um tempo para se adaptar com essa nova rotina, portanto é legal esperar um tempo (mais de um mês) para formar uma opinião sobre o co-wash.

No facebook tem um grupo muito bacana que ajuda muito para os adeptos no no poo (co-wash) e o low poo, cheio de dicas e experiências! Clica aqui pra conhecer.

E você, é adepto do co-wash? Já tentou? Me conta o que acha :}